CYRO DE MATTOS PUBLICA SEU PRIMEIRO ROMANCE

Romance de Cyro de Mattos Será Lançado
na Academia de letras da Bahia Dia 2



O escritor Cyro de Mattos (baiano de Itabuna) estará lançando o seu primeiro romance, Os ventos gemedores, na Academia de Letras da  Bahia, em Salvador,  no dia 2 de setembro, às 18 horas. O livro é uma publicação da Editora LetrasSelvagem (SP) e traz  posfácio assinado pela  ensaísta Nelly Novaes Coelho, doutora em Letras e professora emérita da USP.
Em Os ventos gemedores, Cyro de Mattos penetra vulcânicos labirintos no coração da terra e  transmuda  o território do sul da Bahia no condado imaginário  do Japará.  Desenvolve nesse território bárbaro  o conflito movido por dramas, ambições, opressões e misérias da terra, vividos pelos por  Vulcano Brás e Edivirgem,  vaqueiro Genaro e    Almirinha,  os irmãos Olindo e Olívio, entre outros personagens marcantes  cujas ações conferem permanência ao romance,  terminada a sua leitura.  
Autor de ampla escrita, entre volumes de contos, novelas, poemas, crônicas e livros infantojuvenis, Cyro de Mattos é publicado em Portugal, Itália, Alemanha e França. Sua obra vem sendo aclamada por escritores e críticos, além de  ter o reconhecimento através dos vários prêmios conquistados pelo autor, no Brasil e no exterior.
        Como prosador e ficcionista publicou para o leitor adulto: Os brabos, contos, Prêmio Nacional de Ficção Afonso Arinos, da Academia Brasileira de Letras; Duas narrativas rústicas, contendo “Inocentes e Selvagens”, Prêmio Internacional Miguel de Cervantes, da Casa dos Quixotes, Rio de Janeiro, e “Coronel, Cacaueiro e Travessia”, Menção Especial no Concurso Internacional de Literatura da Revista Plural, México; Os recuados, contos, Prêmio Leda Carvalho da Academia Pernambucana de Letras, Prêmio Jorge Amado do Centenário de Ilhéus, Menção Honrosa no Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro; Berro de fogo e outras histórias, Prêmio Nacional de Ficção da Academia Pernambucana de Letras, O mar na Rua Chile, crônicas, Finalista do Prêmio Jabuti;  Alma mais que tudo, crônicas,  O Velho Campo da Desportiva, memórias e crônicas; Um grapiúna em Frankfurt, crônicas, e Natal das crianças negras, narrativa, em cinco idiomas.