O SENTIDO DE REGIÃO: IDENTIDADE E LUGAR – A REGIÃO CACAUEIRA DA BAHIA


O tema “O SENTIDO DE REGIÃO: IDENTIDADE E LUGAR – A REGIÃO CACAUEIRA DA BAHIA” foi pubicado, em forma de artigo, na revista Ciência Geográfica, Bauru/SP, este ano, e transformado em aula/live, como parte do projeto “Integra UESC”, no dia 20/08/2020.

Na ciência geográfica os termos espaço, região, território, paisagem, lugar são uma constante em qualquer processo de análise espacial. Dependendo do contexto em que a análise seja feita, um ou outro conceito será utilizado com maior ou menor frequência. Assim, a região pode ser considerada a partir da percepção, valorizando suas qualidades sensoriais, pois “nossos sentidos são locais enquanto que nossa experiência é regional” (LYNCC, 1981, p. 10). Nesta apresentação foi feita uma incursão no conceito do sentido de região no seu viés de identidade e lugar. No caso do Sul da Bahia, o conceito de Região Cacaueira foi analisado no sentido de saber se ela é acessível a seus habitantes, se todos têm direito a ela como provedora de suas necessidades materiais, intelectuais, espirituais, se ela se constitui no lugar de seus moradores. Neste estudo, a Região Cacaueira do Sul da Bahia analisou a região como lugar, local de vivência, das experiências, do mundo-vivido, do cacau como signo regional que interferiu e interfere no modus vivendi dos habitantes da área produtora de cacau. Nesta apresentação foi feita uma incursão no conceito do sentido de região no seu viés de identidade e lugar.

Na literatura regional, Jorge Amado, Adonias Filho, Hélio Pólvora, Cyro de Mattos, Euclides Netto, entre outros, já tratavam a Região Cacaueira como o lugar dos acontecimentos que têm o cacau como símbolo principal, em nome do qual a beleza, a feiúra, a abastança, a miséria, a morte, a vida, o progresso, o atraso, o passado, o presente e o futuro acontecem.

Assim, região para os habitantes da região cacaueira, é o de lugar de vivência, dos acontecimentos, dos fenômenos ocorridos às populações que viveram, vivem e insistem em viver sob o signo do cacau como um ente que lhes permite a vida. Dessa forma, a região cacaueira do sul da Bahia passa a ter o sentido de IDENTIDADE e LUGAR.


Nenhum comentário:

Postar um comentário